TEXTO

“Surgirão muitos falsos profetas, que enganarão a
muitos; e, por causa do aumento do que é contra a lei,
o amor da maioria esfriará.”

Mateus 24:11, 12
Amauri Jr - dono e administrador do Blog

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

POR QUE AS PESSOAS FARÃO FILAS PARA SEREM MICROCHIPADAS COMO CÃES?

Então... algumas pessoas realmente querem ser microchipadas como um cachorro

Então... algumas pessoas realmente querem ser microchipadas como um cachorro. Elas estão fazendo filas para isso. Elas vão à festas para fazer isso. Se isso não está disponível para elas, elas ficam totalmente deprimidas.



Eu nem vou me aventurar no aspecto religioso de ter um microchip inserido em um ser humano. Vamos apenas falar sobre as ramificações.

Certas pessoas não serão felizes até que todos tenham um chip de computador implantado nelas. Veja como isso poderia acontecer.

* Inicialmente, seria a ovelha que cegamente desejaria ser chipada por sua própria "conveniência", dando o exemplo.
* Então, tornaria-se incrivelmente incômodo não ser chipado - como quase impossível não ter uma conta bancária nos dias de hoje.
* Então, os últimos obstáculos podem ser a chipagem por lei.

Continue lendo, porque não farei essas coisas.



Alguns empregadores estão chipando seus trabalhadores.

No verão passado, a internet estava agitada sobre uma empresa em Wisconsin que queria microchipar seus funcionários. Os trabalhadores da empresa de tecnologia, Three Market Square, tiveram a opção de ter um chip implantado em suas mãos, e 50 de 80 funcionários ansiosamente fizeram fila pelo privilégio.

Por quê? Então, eles poderiam comprar comida ou passar através da segurança do prédio com um balançar da mão. O engenheiro de software Sam Bengtson explicou o porquê ele estava a bordo.

"Foi praticamente 100 por cento sim, desde o início, para mim. Nos próximos cinco a dez anos, isso vai ser algo que não será ridicularizado, ou mais normal. Então, eu gosto de seguir esses passos com esse tipo de coisas rápido, apenas para dizer que eu tenho." (Fonte)


Ele não estava sozinho. Na verdade, eles fizeram uma festa de microchips e algumas pessoas receberam chips ao vivo na TV, de modo que o resto de nós, humanos relutantes, poderíamos ver como era legal ser microchipado. Veja o que eles fizeram!






Não é apenas essa empresa americana que chipa os trabalhadores. Aqui está um exemplo na Suécia.

"O que poderia ser uma visão distópica do local de trabalho é quase rotineiro no centro da start-up sueca Epicenter. A empresa oferece implantar seus trabalhadores e membros com microchips do tamanho de grãos de arroz que funcionam como cartões magnéticos: para abrir portas, operar impressoras ou comprar smoothies com um gesto da mão. 

"O maior benefício, penso eu, é a conveniência", disse Patrick Mesterton, co-fundador e executivo-chefe da Epicenter. Como uma demonstração, ele abre uma porta apenas por acenar perto dela. "Ele basicamente substitui muitas coisas que você possui, outros dispositivos de comunicação, sejam cartões de crédito ou chaves". (Fonte)

Alessandro Acquisti, professor de tecnologia da informação e políticas públicas no Heinz College da Universidade Carnegie Mellon, adverte que isso pode não ser uma boa ideia.

"As empresas geralmente afirmam que esses chips são seguros e criptografados... Mas "criptografado" é "um termo bastante vago", disse ele, "o que poderia incluir qualquer coisa de um produto verdadeiramente seguro a algo que seja facilmente hackeavel".

Outro problema potencial, disse o Dr. Acquisti, é que a tecnologia projetada para um propósito pode ser usada mais tarde para outro. Um microchip implantado hoje para fácil acesso a prédios e pagamentos poderia, em teoria, ser usado ​​mais tarde de formas mais invasivas: acompanhar a permanência dos funcionários no banheiro ou pausas de almoço, por exemplo, sem seu consentimento ou mesmo o conhecimento deles.

"Uma vez que eles são implantados, é muito difícil prever ou parar um futuro crescente do seu uso", disse o Dr. Acquisti. (Fonte)

Os especialistas dizem que todos vão querer ser microchipados, em breve.

Muitas fontes dizem que é inevitável que todos nós sejamos microchipados. Noelle Chesley, professora associada de sociologia da Universidade de Wisconsin-Milwaukee, diz que é inevitável.

"Isso acontecerá a todos. Mas não este ano, e não em 2018. Talvez não seja minha geração, mas certamente a dos meus filhos." (Fonte)

Outro defensor pro-chip, Gene Munster, um investidor e analista da Loup Ventures, diz que só precisamos superar esse estímulo social bobo e, então, todos estarão fazendo isso dentro de 50 anos. Por quê? Ah, os benefícios.

Leia também: Cientistas Afirmam que os Implantes de Microchips RFID em Seres Humanos "Não Serão Opcionais"

A empresa, que vende quiosques de cafeteria projetados para substituir as máquinas de venda automática, gostaria que os quiosques gerenciassem transações sem dinheiro.

Isso iria além do pagamento com seu smartphone. Em vez disso, os clientes chipados simplesmente acenariam suas mãos no lugar do Apple Pay e outros sistemas de pagamento por celular.

Os benefícios não param por aí. No futuro, os consumidores poderiam passar através de scanners de aeroportos sem passaporte ou carteira de motorista; abrir portas; ligar carros; e operar sistemas de automação residencial. Tudo isso, se a tecnologia desaparecer, com o simples aceno de uma mão. (Fonte)

Existem outras empresas que estão a bordo de microchipar a todos.

"Em uma recente conferência de tecnologia, Hannes Sjöblad explicou como um microchip implantado em sua mão facilita sua vida. Ele substitui todas as chaves e cartões que costumavam desordenar seus bolsos.

"Eu uso isso muitas vezes por dia, por exemplo, eu uso isso para desbloquear meu smartphone, para abrir a porta do meu escritório", disse Sjöblad.

Sjöblad chama a si próprio de biohacker. Ele explicou: "Nós biohackers, pensamos que o corpo humano é um bom começo, mas certamente há margem para melhorias".

O primeiro passo nessa melhoria é obter um microchip do tamanho de um grão de arroz colocado sob a pele. De repente, o toque de uma mão é suficiente para dizer à impressora do escritório que este é um usuário autorizado.

Os microchips são etiquetas de identificação por radiofrequência. A mesma tecnologia amplamente utilizada em coisas como cartões de acesso. Os chips são implantados em animais há anos para ajudar a identificar animais de estimação perdidos e agora a tecnologia está se movendo para os humanos.

A start-up tecnológica Dangerous Things vendeu dezenas de milhares de kits de implantes para humanos e alguns para empresas de tecnologia na Europa.

Sjöblad disse que ele mesmo organiza as festas de implantes onde as pessoas se unem para receber chips. (Fonte)

Leia também: Washington Post: Chips Implantáveis Ligados a Tumores em Animais

Um jornal do Reino Unido, o The Sun, explica o quão incrível é ser microchipado.

"A mulher sentada ao lado de você poderia estar escondendo um implante sob a pele que lentamente libera hormônios para impedir que ela engravide. 

Avós e avôs em todo o país têm instalado a tecnologia de ponta apenas para aumentar sua audição e visão ou para ajudá-los a caminhar com conforto.

Estamos nos preparando para a próxima forma de evolução em que os seres humanos se fundirão com a inteligência artificial, unindo-se aos computadores.

Pelo menos essa é a crença do Dr. Patrick Kramer, diretor da Digiwell, uma empresa que afirma ser dedicada a "atualizar humanos". (Fonte)

Sério, quem não quereria todas essas maravilhas em suas vidas?

Há algumas armadilhas graves

Embora os chips atuais que são "instalados" em seres humanos são ditos não possuírem rastreamento GPS, você não acha que é apenas uma questão de tempo? E também, como você SABE que não há tecnologia de rastreamento GPS naquele pequenino chip? Só porque eles dizem isso?

Depois, há a questão do chip em seu corpo ser hackeado.

"Isso é coisa séria. Estamos falando de uma conexão potencial interrupta com meu corpo e não posso desligá-lo, não consigo retirá-lo, ele está em mim. Esse é um grande problema", disse Ian Sherr, editor executivo da CNET. 

"É muito fácil hackear um chip implantado, então meu conselho é não colocar seus segredos em um implante, disse Sjöblad ...

"É sobre educar as pessoas e dar a cada pessoa as ferramentas... não só como usar a tecnologia, mas, mais importante, quando ele está sendo usado contra você", alertou Sjöblad. (Fonte)

A microchipagem não vai parar com um chip de pagamento na mão.


O objetivo final é o microchip no cérebro das pessoas. E as pessoas estão um pouco ansiosas para obtê-los. Os cientistas estão dizendo que eles podem corrigir problemas de saúde mental com chips cerebrais, eles podem tornar as pessoas mais inteligentes e ajudá-las a se "fundirem" com a inteligência artificial (IA). Uma pessoa chipada poderia, teoricamente, enviar seus pensamentos diretamente para seu computador.


Então, com esses chips em nossos cérebros, na verdade, estaremos nos fundindo com os computadores em algum grau. Os robôs terão uma tomada de controle muito fácil se nossos cérebros puderem ser acessados ​​assim.

Os microchips podem não ser opcionais um dia.

Este filme de terror fica ainda mais assustador. Já existe uma lei escrita que potencialmente permite que os seres humanos sejam chipados à força.

Está escrita em linguagem cordial e confusa e eles dizem que é apenas para ajudar a rastrear as pessoas com Alzheimer ou outras dificuldades de desenvolvimento, mas lembre-se de que a lei mais antipatriótica já aprovada também foi chamada de Lei Patriota.

H.R.4919 foi aprovada em 2016.

"Ela direciona o Departamento de Justiça (DOJ) Bureau of Justice Assistance (BJA) para atribuir concessões concorrenciais para agências de cuidados de saúde, agentes da lei ou de segurança pública e organizações sem fins lucrativos, para desenvolverem ou operarem programas pró-ativos localmente para evitar erradicar e localizar indivíduos desaparecidos com demência ou crianças com deficiências de desenvolvimento. O BJA deve dar preferência às agências de agentes da lei ou de segurança pública em parceria com organizações sem fins lucrativos que usam planos centrados na pessoa e estão diretamente ligadas a indivíduos e famílias de indivíduos, com demência ou deficiências de desenvolvimento." (Fonte)

Apesar do fato de que o projeto de lei exige que todos usem as "melhores práticas" de privacidade, não é muito difícil entender o caminho perigoso que é isto. Quem consegue decidir se uma pessoa "precisa" ser chipada por seu próprio bem? Os agentes da lei. Assustador.

Isso poderia levar a uma sociedade sem dinheiro?

Se "todos" forem implantando chips, como prevê esses especialistas, isso poderia ser o próximo passo no impulso para uma sociedade sem dinheiro. Pense na falta de privacidade, então. Se tudo for comprado através de um chip exclusivo para você, então toda compra pode estar sob o radar. Se uma pessoa estava armazenando alimentos, assistindo a filmes com classificação etária, lendo livros sobre revolução ou comprando munição, todos seriam registrados em um banco de dados. Nossas compras podem ser usadas em algum tipo de tecnologia pré-criminal, ala Minority Report, ou podem ser usadas para nos perfilar de outras maneiras.

Se não houver nenhuma maneira de fazer compras sem um chip, muitas pessoas terão que obedecer. Os mesmos chips podem ser um requisito para cuidados médicos, licenças de motorista, empregos - você o nomeia. Não importa onde você tentou se esconder, seu localizador de GPS diria que você foi encontrado. Seria como se todos fossem forçados a ter uma dessas pulseiras de tornozelo que os criminosos usam, exceto que ela seria dentro de seu corpo.

Se você acha que a atmosfera de controle é desconcertante agora, basta esperar. Quando todos forem microchipados, a rede será ainda mais apertada.

Entre o apocalipse robótico pendente que eu escrevi sobre na semana passada e a microchipagem forçada, parece que não teremos que esperar pela "mudança climática" ou pela guerra de destruição mutuamente garantida para nos atingir. A tecnologia pode ser o fim da humanidade.





Via http://www.anovaordemmundial.com/2017/11/por-que-as-pessoas-farao-filas-para-serem-microchipadas-como-caes.html e https://www.infowars.com/why-people-will-happily-line-up-to-be-microchipped-like-dogs/

ATIVISTAS LGBT FAZEM COM QUE A ONU SE POSICIONE OFICIALMENTE CONTRA OS CRISTÃOS

Resultado de imagem para lgbt onu

Para os ativistas LGBT – pró-aborto e pela ideologia do gênero – os cristãos são um obstáculo crescente para a imposição de sua agenda. A ONG Promsex, com sede no Peru, fez uma denúncia junto à Organização das Nações Unidas (ONU), alegando violação dos “direitos culturais”.

O “Relatório Especial de Direitos Culturais”, elaborado pela ONU a partir das “denúncias” da Promsex, insiste que “o fundamentalismo religioso tende a causar um impacto desproporcional sobre os direitos das mulheres”. Na verdade, eles reclamam da pressão feita pelos movimentos cristãos (evangélicos e católicos) contra as organizações feministas que lutam pela legalização do aborto, alegando que se trata de “direitos reprodutivos”.

O termo “fundamentalistas” foi usado para se referir aos grupos que, segundo eles, “rejeitam a igualdade e universalidade dos direitos humanos, baseando-se em visões mundiais rígidas”. Também protestam que “alguns desses grupos costumam impor sua interpretação de doutrinas religiosas, de modo que as leis e políticas que eles promovem são baseadas em ideias estereotipadas e sexistas sobre as relações de gênero”.

Em seu Relatório Especial, a ONU afirma que é obrigação dos Estados “prevenir e punir os atos cometidos por atores não estatais, como grupos da sociedade civil, igrejas, entre outros, que são fundamentalistas e extremistas, contrários aos direitos humanos”.

Por fim, acusam os cristãos de serem “o muro que os impede de avançar” com sua agenda. Propositalmente, ignoraram o fato de que as organizações cristãs é que são responsáveis – através de asilos, orfanatos, e abrigos – pelo cuidado de mulheres, crianças e idosos que não recebem o apoio das autoridades. Não se conhece instituições similares fundadas e mantidas por feministas e ativistas LGBT.

A Promsex é mais uma ONG ligada à Planned Parenthood, fazendo parte da rede que George Soros tem montado para impor sua agenda globalista na América Latina.

Em um texto publicado recentemente no site da Open Society, divulgado no Twitter oficial de Soros, ele lamenta o crescimento na América Latina do “movimento conservador”. Para Soros, essa é “uma ideologia falsa”, que se opõe ao conceito “libertador da ideologia do gênero”. Quem são os culpados? Sobretudo os cristãos, que “procuram benefícios religiosos”. Por isso, argumenta, é preciso um acirramento de posições em 2018.


No mês passado ele divulgou que está investindo 18 bilhões de dólares na Open Societypara a “promoção dos direitos humanos”. A julgar pela argumentação da Promsex, isso significa, na prática, promoção das pautas anticristãs.






Por Jarbas Aragão - Gospel Prime






ESTADO ISLÂMICO PUBLICA IMAGENS MOSTRANDO O PAPA FRANCISCO DECAPITADO

Resultado de imagem para isis pope francis decapitated

Poucos dias depois de circular na internet uma imagem produzida pelo Estado Islâmico prometendo um ataque ao Vaticano, os jihadistas divulgam uma fotomontagem mostrando o papa Francisco sendo decapitado.

A foto é uma sobreposição grosseira do rosto do papa sobre a imagem real de uma execução do Estado Islâmico. A divulgação foi obra da Wafa Media, que no passado distribuía os vídeos com decapitações na internet.

Um jihadista está sobre o corpo de um prisioneiro vestindo um macacão laranja – típico das prisões americanas – com as mãos amarradas nas costas. O terrorista, com um lenço branco cobrindo o rosto, segura uma faca em uma mão e toca a cabeça que deveria ser de Francisco com a outra. Para não haver dúvidas, “Jorge Mario Bergoglio”, o nome de batismo do papa, está escrito ao lado da cabeça.

Ao fundo é uma paisagem urbana e uma caminhonete com os jihadistas que carregam a conhecida bandeira preta do EI.

Denunciadas para o Ocidente pelo SITE Intel Group,que monitora atividades terroristas, a fotomontagem remete a imagens similar, com os rostos dos jogadores Neymar e Messi.

Derrotado na Síria e no Irque e vendo seu califado chegar ao fim, o Estado Islâmico procura espaço na mídia tentando mostrar que sua organização terrorista não terminou.


O apelo nos últimos meses tem sido, sobretudo, para que os simpatizando do Estado Islâmico realizem ataques do tipo “lobo solitário” especialmente na Europa e nos Estados Unidos.

A Wafa Media publicou um cartaz na semana passada, onde lê-se “O Espectro do Terrorismo”. O texto, em inglês, afirma: “Vocês pagarão um preço muito caro pela sua guerra contra o Islã. Vamos nos vingar do sangue dos muçulmanos em sua terra, vamos matar os jovens e fazer os mais velhos assistirem”.

O especialista em islamismo Robert Spencer lançou o livro “Infidel’s Guide to ISIS” [O guia do infiel para compreender o Estado Islâmico], onde mostra por que as ameaças ao papa fazem parte da estratégia do EI desde sua fundação.


Segundo Spencer, “O EI trabalha com um calendário onde por volta do ano 2025, ocorrerá o Armageddon, a luta final entre o bem e o mal, ou entre os muçulmanos e os não-muçulmanos”. Eles acreditam que a conquista de Roma deveria ocorrer até 2020. A execução do papa seria uma prova que o islamismo é maior que o cristianismo, simbolizado pelo líder do Vaticano.

Eruditos muçulmanos dizem que Maomé profetizou que as duas grandes cidades romanas de sua época seriam conquistadas: Roma e Constantinopla. A antiga Constantinopla chama-se hoje Istambul, e já é uma cidade muçulmana. Embora Roma não tenha convivido com atentados, sua população islâmica tem dado demonstrações de força. Com informações deJihad Watch










Por Jarbas Aragão - Gospel Prime

ALERTA: NOVA CEPA DA PESTE NEGRA PODE MATAR EM "APENAS 3 HORAS", E AGORA JÁ É TRANSMITIDA PELO AR

Surto de "Peste Negra" é descrito como "o pior em 50 anos", à medida que o número de casos registrados aumenta

A doença já matou mais de 171 pessoas apenas em Madagascar, com mais milhares de casos confirmados em todo o país do leste da África.

O Malawi tornou-se a décima nação vizinha a ser colocada em alerta elevado após o surto mortal da doença que eliminou um terço da população medieval.

A epidemia representou mais de 50 milhões de mortes em toda a Europa durante o século XV.

As autoridades de saúde de Madagáscar instalaram pontos de controle médicos nas partes da capital de Antananarivo, na tentativa de reduzir a propagação da praga.

A peste bubônica, é sempre fatal em indivíduos infectados se não for tratada.

DOENÇA MORTAL: os médicos temem que uma "nova cepa" da Peste Negra possa matar em "três horas"


Uma equipe de notícias local que seguiu um profissional de saúde na cidade atingida, ouviu médicos informarem aos residentes que a nova cepa da doença "pode ​​matar em três horas".

No início desta semana, o especialista em infecção e imunidade, o Dr. Matthew Avison, disse ao Daily Star Online que a doença "extremamente rara" é "resistente" aos antibióticos.

Um porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS) admitiu que há medo de que essa cepa da peste - que agora acredita ser transmitida pelo ar - causaria um surto global da doença.

Falando ao Daily Star Online, o especialista em epidemias Paul Hunter disse que a peste poderia chegar a todos os continentes, começando pela África continental.

Ele disse: "Este foco atual é preocupante, dado que é diferente dos casos anteriores que vimos e tem se espalhado para áreas que não estão acostumadas a vê-lo.

"Nós não queremos uma situação em que a doença se espalhe tão rápido e que fique fora de controle.

"Estamos falando sobre isso se espalhando em dias e não em semanas".

Isso vem depois de arquivos secretos revelarem que cientistas japoneses estavam cultivando a doença assassina durante a Segunda Guerra Mundial na tentativa de usá-la contra as forças dos EUA.



Via: http://www.anovaordemmundial.com/ e https://www.infowars.com/new-black-death-plague-strain-can-kill-in-just-3-hours-as-lethal-disease-goes-airborne/

terça-feira, 12 de setembro de 2017

ALÉM DAS VACINAS, BILL GATES INVESTE EM CARNE SINTÉTICA PARA OS CONSUMIDORES EM PROL DA REDUÇÃO POPULACIONAL

Resultado de imagem para bill gates meat

Não há dúvida de que, em todo o mundo, com exceção de países com motivos religiosos de abstenção, as pessoas adoram comer carne. Seja um bife delicioso no churrasco ou o frango assado da sua mãe, a maioria de nós associamos bons momentos e lembranças familiares com carne de algum tipo. Com o ritmo agitado em que a tecnologia está se movimentando, no entanto, mesmo a simples alegria de desfrutar de carne no jantar pode ser uma coisa do passado - a menos que você esteja disposto a comer carne sintética. É isso mesmo: todos nós podemos ser forçados a comer hambúrgueres de laboratório e frangos de tubo de ensaio, se uma empresa chamada Memphis Meats conseguir o que pretende.

O site Daily Mail do Reino Unido informou recentemente que a Memphis Meats - a qual produz frango e carne bovina em tubos de ensaio - se aproximou consideravelmente do seu objetivo de produzir carne sintética, depois de receber financiamento de vários grandes figurões, incluindo Richard Branson da Cargill - uma das maiores empresas agrícolas do mundo - e o cara envolvido em todos os negócios: Bill Gates.

É o próprio Bill Gates que disse em uma conferência TED 2010: "O mundo hoje tem 6.8 bilhões de pessoas... e se dirige para cerca de 9 bilhões. Agora, se fizermos um excelente trabalho em novas vacinas, cuidados de saúde e serviços de saúde reprodutiva, poderemos diminuir isso para talvez 10 ou 15%."

Independentemente de questões éticas ou outras relacionadas à carne sintética, seria sábio pensar duas vezes em comer "carne" financiada por um cara que acredita que as vacinas devem ser usadas para reduzir a população mundial.

Coletivamente, a empresa de capital de risco DFJ obteve US$ 17 milhões em capital de investimento da Memphis Meats de Gates e outros membros da elite rica.

Leia também: Melinda Gates faz Doação para Indústria do Aborto para Acelerar a DEPOPULAÇÃO de Negros

Embora todo o conceito de carne cultivada em um tubo de ensaio usando "soro fetal bovinode sangue de bezerros" soa francamente nojento, Memphis está chamando suas novas ofertas de jantar de "carne limpa" e espera fornecer hambúrgueres, cachorros-quentes, salsichas e almôndegas falsos para os consumidores nos próximos dois anos.

A empresa já criou com sucesso uma almondega usando essa tecnologia, e a revelou ao público em fevereiro de 2016.

Os "filantropos" envolvidos parecem encantados com o seu investimento.

Richard Branson disse ao site Bloomberg: "Estou emocionado por ter investido na Memphis Meats. Eu acredito que em 30 anos ou mais não precisaremos mais matar nenhum animal e que toda a carne estará limpa ou baseada em vegetais, terá o mesmo sabor e também será muito mais saudável para todos".

O líder do grupo Cargill Protein, Brian Sikes, concordou com orgulho, dizendo: "Na Cargill, reconhecemos que a carne é uma parte central das dietas do consumidor e central para muitas culturas e tradições. Acreditamos que os consumidores continuarão a escolher a carne como uma fonte de proteína, e é por isso que estamos focados em trazê-la à sua mesa de forma sustentável e econômica o quanto pudermos. Nossas proteínas tradicionais, bem como novas inovações como carnes cultivadas, são ambas necessárias para atender a essa demanda".

A Memphis afirma que sua nova técnica produzirá 90 por cento menos emissões de gases de efeito estufa (o que certamente delicia a histeria do aquecimento global). O único benefício definido que tal "carne" teria é que eles afirmam que não será cheia de antibióticos.É de se perguntar, no entanto, se a bombearem com hormônios de crescimento para acelerar a produção para uma população global de bilhões de pessoas.

Claro, os amantes dos animais ficarão encantados com o fato de os animais não terem mais que ser abatidos, mas a questão ardente ainda permanece: o que dizer dos pobres bovinos necessários para o soro fetal bovino?

E como um mundo sem carne deixaria todos os criadores de gado? Como eles se ajustarão?

Finalmente, com a carne feita em tubos de ensaio, não será ainda mais fácil para os poderes colocar todos os tipos de coisas em nosso abastecimento de alimentos?











Via: http://www.anovaordemmundial.com/ e http://www.naturalnews.com/2017-08-31-same-bill-gates-that-calls-for-vaccines-to-reduce-human-population-invests-in-lab-grown-meat-company-that-hopes-to-sell-synthetic-meat-to-consumers.html

6 GRANDES BANCOS MUNDIAIS SE UNEM PARA CRIAR NOVA CRIPTOMOEDA MUNDIAL PARA UM GOVERNO ÚNICO GLOBAL

Logotipo do banco Barclays

Segundo o portal CoinDesk, o projeto denominado Utility Settlement Coin (USC) foi lançado há um ano pelas empresas financeiras UBS, BNY Mellon, Deutsche Bank, Santander e NEX com o startup britânico Clearmatics. Os bancos multinacionais Barclays, CIBC, Credit Suisse, HSBC, MUFG e State Street se uniram à iniciativa recentemente. 

O projeto visa preparar o caminho para que os bancos centrais contem com criptodivisas no futuro, possibilitando que entidades globais executem uma grande variedade de transações entre si através do uso de ativos garantidos em blockchains personalizados.

O dinheiro digital será a chave dos mercados financeiros, por isso os principais bancos do mundo não querem ficar para trás. Na verdade, os gerentes do projeto estiveram em contato com bancos centrais e reguladores para garantir que USC cumpra todos os requisitos, tais como a política de proteção de dados ou segurança cibernética.

Embora a nova criptomoeda tenha um alcance limitado de início, o chefe de investimento e inovação de tecnologia financeira do USC, Hyder Jaffrey, explicou ao portal o impacto potencial que o projeto poderia vir a ter: "Nós o vemos como um trampolim para que no futuro os bancos centrais emitam sua própria criptomoeda."







Via Sputinik

BANCO SANTANDER PROMOVE PEDOFILIA, PORNOGRAFIA E ARTE PROFANA EM EXPOSIÇÃO E GERA INDIGNAÇÃO, PROVOCANDO O CANCELAMENTO DE 20 MIL CLIENTES

Resultado de imagem para SANTANDER PEDOFILIA

O Santander Cultural está sediando a exposição Queermuseu, na cidade de Porto Alegre. São cerca de 270 obras que promovem a pedofilia, a pornografia e os mais variados ataques à moral e aos bons costumes que se possa imaginar.

Para o Presidente da instituição, Sérgio Rial, a exposição “está ancorada em um conceito no qual realmente acreditamos: a diversidade observada sob aspectos da variedade, da pluralidade e da diferença”, que cada vez mais ganha “atenção por parte da nossa organização”, segundo consta no encarte de apresentação. Quer com isso promover o “questionamento entre a realidade das obras e do mundo atual em questões de gênero e suas nuances”. No mínimo se trata de um sujeito para o qual não há diferença nenhuma entre uma laranja e uma mexerica.

Segue ainda afirmando: “Diferentes ângulos de visão e abordagens são fundamentais e extrapolam questões institucionais ou relacionadas ao politicamente correto. Trata-se de um valor para a nossa empresa, pois acreditamos que a diversidade é a impulsionadora da criatividade e da eficiência”. Há, é claro, no mínimo uma confusão entre processo criativo e necessidade de expor intimidades.


No entanto, antes de analisar os argumentos do curador da exposição, é preciso lembrar que agosto é o mês da temática LGBTQ no Santander Cultural, como mostra a imagem a seguir. E por falar em LGBTQ, daqui a pouco vai faltar alfabeto para atender às demandas da sigla.



Gaudêncio Fidelis, o curador da exposição, pode até ter doutorado em história da arte, mas certamente arte não é a sua especialidade, apenas confusão. Isso será explicado a seguir com base no que ele escreveu para o encarte de apresentação dos trabalhos.

Primeiramente, ele fala na diferença como alteridade. Isso não passa de um curto-circuito cerebral dos ditos especialistas em arte contemporânea que já há tempos se distanciaram do verdadeiro objetivo da arte: a consagração do belo. Hoje o artista precisa causar impacto, e só. Veja outra das obras expostas para melhor ilustrar:



Para Fidelis, o “objetivo é propiciar um campo de investigação sobre o caráter patriarcal e heteronormativo do museu como instituição”, “pensar fora da norma”, “provocar um deslocamento, ao menos temporário, no conceito de museu como instituição”. Para sujeitos assim, a tradição não tem qualquer papel numa sociedade a não ser oprimir desejos insaciáveis e estabelecer parâmetros normativos para enquadrar as pessoas em determinadas categorias.

Observe como um depravado começa a perverter o vocabulário da língua portuguesa. Ele diz que o termo queer, que dá nome à exposição, apresenta um “significante não normativo”. Traduzindo: trata-se de um termo fora da norma previamente estabelecida. Isso acontece como os atuais juristas defensores dos direitos dos animais, que criaram um novo termo: animais não humanos. Percebe-se que, ao expressar alguma coisa como “não normativa”, não o distancia da “norma”, apenas quer dar um caráter de oposição para justamente enquadrá-lo como uma “espécie de norma”. Para quem quer maiores detalhes de como isso funciona, George Orwell bem relatou no livro “1984”. Mudanças desse tipo no vocabulário geram uma verdadeira confusão irrecuperável na cabeça das pessoas, sobretudo nos estudantes em processo de formação.

Ainda, segue desenvolvendo o assunto: “Concebido sob uma perspectiva conceitual de uma exposição, o termo queer mostra-se instrumento para subverter a consolidação de uma política de identidade essencialista, uma vez que este permite a derrubada de barreiras de gênero sem necessariamente impor outras”. Ou seja, ele quer perverter a arte dizendo apenas da boca para fora que essa não é a sua intenção. Será mesmo?!?








Para Fidelis, a criação de barreiras normativas criou uma barreira conservadora e uma política de diferenças. Os únicos movimentos que impõem tais diferenças são os movimentos das minorias. Eles não querem igualdade coisíssima nenhuma, mas a criação de amplos poderes para formação de classes de intocáveis.





A exposição quer desafiar os modelos curatoriais tradicionais, especialmente aqueles de perspectiva heteronormativa, como eles bem dizem: “O cânone pode ser considerado o bastião do estabelecimento da heterormatividade, sendo capaz de assegurar o prestígio de determinadas obras em detrimento de outras” (sic).

“Queermuseu é, assim, uma exposição voltada para uma curadoria crítica fundada na democracia e na visão de um processo de inclusão”, diz o encarte. Até mesmo o conceito de democracia não é perdoado, pois qualquer ato de rebeldia está sendo enquadrado como “liberdade de expressão”.

Trata-se de um projeto desenvolvido pela Lei de Incentivo à Cultura, com apoio do Ministério da Cultura e Governo Federal, ou seja, “arte” patrocinada com o dinheiro de quem trabalha.




Para os novos parâmetros da arte, a beleza pouco importa se o artista for capaz de causar espanto, de transgredir normas e inserir os seus trabalhos numa proposta de gênero. Poucos sabem que a arte é uma forma de transcender o barbarismo e as limitações do imaginário humano, na busca incansável pelos altos picos de realização do homem: é um ato de defesa da civilização.

--

Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta.






Via 
http://www.locusonline.com.br/2017/09/06/santander-cultural-promove-pedofilia-pornografia-e-arte-profana-em-porto-alegre/ e http://viporaiposteiporaqui.com/2017/09/10/banco-santander-perde-mais-de-20-mil-clientes-em-dois-dias-apos-exposicao-pornografica/