TEXTO

“Surgirão muitos falsos profetas, que enganarão a
muitos; e, por causa do aumento do que é contra a lei,
o amor da maioria esfriará.”

Mateus 24:11, 12
Amauri Jr - dono e administrador do Blog

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Pink "Just Like Fire": Outro Vídeo Flagrante de Controle Mental

O vídeo de Pink "Just Like Fire" é um dos vídeos de temática MKULTRA mais evidentes já lançado. Trilha sonora do filme "Alice Através do Espelho", o vídeo confirma o carinho da Disney para com o controle mental Monarca.

Se alguém sabe um pouquinho sobre controle mental Monarca, o vídeo "Just Like Fire" de Pink é uma exposição flagrante de seu simbolismo. Ele segue a mesma narrativa e utiliza as mesmas imagens como inúmeros outros vídeos analisados ​​neste site, provando mais uma vez que há um esforço sustentado em expor os jovens a este mundo doentio.

No vídeo, Pink encontra-se perdida no país das maravilhas para então ser levada para uma instituição mental - à força. Através de imagens de controle mental, o vídeo descreve simbolicamente Pink sendo dissociada e programada por um manipulador. Em suma, tudo sobre esse vídeo está diretamente ligado ao controle mental Monarca. 

Alice no País das Maravilhas + Disney = Controle Mental

"Just Like Fire" é o primeiro single da trilha sonora de "Alice Através do Espelho" - um filme da Disney que certamente irá conter um monte de simbolismo MK. Como indicado no meu artigo sobre Controle Mental Monarca, o objetivo final é fazer com que o escravo dissocie após ter sido submetido a um trauma intenso e insuportável. Manipuladores incentivam esse comportamento submetendo os escravos a um "script de programação", uma história que vai orientar o jovem escravo através da programação. Um script comum usado é o "Alice no País das Maravilhas" de Lewis Carroll, uma história que pode perfeitamente ser aplicada ao sofrimento de um escravo MK.

Da mesma maneira que Alice segue um coelho branco através do espelho para entrar no estranho país das maravilhas, escravos seguem seus manipuladores através da programação para alcançar a dissociação completa. No conto de fadas, Alice entra em um mundo de fantasia onde tudo é mágico, invertido e instável, um lugar semelhante ao mundo interno do escravo, onde tudo pode ser modificado pelo manipulador. Portanto, em simbolismo MK, "País das Maravilhas" representa o estado de espírito de um escravo dissociado de mente controlada, o lugar para onde eles "escapam" da dor do trauma. Em suma, a história de "Alice no País das Maravilhas" - e outras que são semelhantes - é usada em cenários reais de controle mental.


Ao longo dos anos "O Mágico de Oz", "Alice no País das Maravilhas", e "Mamãe Gansa" parecem ter sido os favoritos (de manipuladores de controle mental). A criança vai ficar muitas vezes em estado de transe quando essas histórias forem contadas. As crianças terão as histórias repetidas e se espera que elas memorizem esses scripts. Porque os programadores vão construir sobre a consciência da criança essas histórias, as histórias são modificadas para se ajustar melhor à programação futura.

- Fritz Springmeier, The Illuminati Formula To Create a Mind Control Slave


Como dito acima, os programadores modificam as histórias para se encaixarem na programação e as adaptações de histórias clássicas da Disney fazem exatamente isso.

É por isso que os filmes da Disney e os outros programas são tão importantes para os programadores. Eles são a ferramenta hipnótica perfeita para fazer a mente da criança dissociar-se na direção certa. Os programadores têm utilizado filmes desde praticamente o primeiro dia para ajudar as crianças a aprender os scripts hipnóticos. Para as crianças eles precisam ser parte do processo hipnótico. Se o hipnotizador permitir que a criança faça as suas próprias imagens, as sugestões hipnóticas serão mais fortes. Em vez de dizer a criança a cor de um cão, o programador pode perguntar à criança. É daí que os livros e filmes mostrados para as criança ajudam a guiar a sua mente na direção certa. Se o hipnotizador falar a uma criança, ele deve tomar cuidado extra para não alterar o tom de sua voz e ter transições suaves. A maioria dos filmes da Disney são usados ​​para fins de programação. Alguns deles são projetados especificamente para o controle mental. 

- Ibid. 

Um exemplo flagrante da Disney em adaptar histórias para fins MK é o filme de 1985 "O Fantástico Mundo de Oz" (leia o meu artigo sobre isso aqui). No filme extremamente assustador, Dorothy é enviada para uma instituição mental onde ela é, literalmente, eletrocutada "sobre o arco-íris". Claro, nada disso estava na história original de Oz.

Décadas mais tarde, a Disney ainda está nessa. O vídeo da música "Just Like Fire" ilustra o quanto a Disney está envolvida em simbolismo MK. Nota: Pink recentemente discutiu sobre a música "Just Like Fire" em uma entrevista no Jimmy Kimmel Live, contrastando o processo de escrever uma música para a Disney com a escrita das músicas em seu álbum, dizendo essencialmente que ela teve muito pouco controle sobre o processo de composição.

Vamos olhar para o vídeo.

Just Like Fire

"Just Like Fire" interpreta o mundo de Alice no País das Maravilhas de acordo com MKULTRA, onde "ir através do espelho" significa dissociar-se da realidade.
O vídeo começa com as palavras "Disney apresenta", para que você
 saiba que essa fábrica de estrelas infantis MKULTRA ainda existe. 

O marido da vida real de Pink, Carey Hart, sai da cozinha e vai dar uma olhada em Pink. Ela está fazendo o de sempre, você sabe, apenas pendurada no teto e girando.
Pink está de cabeça para baixo girando dentro de uma sala ricamente decorada.

Ambos os pisos e as paredes dessa sala têm o padrão quadriculado dualista. No simbolismo maçônico, o piso quadriculado é a superfície ritualística em que ocorre a transformação oculta... e Pink não é uma estranha para o simbolismo maçônico.
A performance de Pink no VMA 2009 foi uma iniciação maçônica clara.
 Seu traje espelhou perfeitamente as roupas de candidatos maçônicas durante 
iniciação: Ela estava com os olhos vendados, o seio esquerdo foi exposto 
sua calça na perna esquerda tinha um padrão quadriculado maçônico.

De volta à sala de piso quadriculado, Pink começa a girar em alta velocidade. Nesse ponto, uma menina (interpretada pela filha de Pink) emerge e segue uma borboleta.
A menina segue uma borboleta monarca azul através de um espelho. 

Essa série de eventos é puro simbolismo de controle mental Monarca. Pendurada no teto, Pink começa a rodopiar representando a sensação vertiginosa e desorientadora de um trauma. Uma vez que a dissociação ocorre, a menina, que representa a personalidade núcleo de Pink, aparece e segue uma borboleta monarca, que representa diretamente a programação Monarca. A borboleta atrai a menina através do espelho ao país das maravilhas - a terra da dissociação.
No país das maravilhas, Pink se encontra em um tabuleiro de 
xadrez, enquanto sua persona núcleo (a menina) continua a correr 
atrás da borboleta (seguindo o roteiro da programação).

O padrão quadriculado lembra a sala em que Pink estava girando, o que implica que ela ainda está naquela sala, mas se dissociou. Devido as suas poderosas propriedades dualistas, esse padrão é usado em programação MK real.
 Esta pintura feita pela sobrevivente de controle mental, Kim Noble, descreve 
uma menina chorando sobre um piso quadriculado dualista. Tudo sobre esta
 pintura refere-se ao conceito de dualidade durante a programação MK 
que induz à divisão da personalidade do escravo.

No tabuleiro de xadrez do país das maravilhas, 
há uma personagem Pink vestida em trajes dualistas.

Em um jogo de xadrez contra si mesma, Pink desempenha o papel de todas as peças,
 incluindo o "Rei" que usa uma "coroa de espinhos" e que convenientemente esconde
 um de seus olhos, ilustrando mais uma vez que tudo isso é sobre simbolismo MK.

Essa cena representa o que acontece com os escravos após a dissociação: A separação dessa persona.

A percepção de formas naturalmente desenvolvida pela criança é aproveitada quando giram a criança e a fazem sentir como se ela fosse cair. A criança também será privada de sono e drogada. Tudo isso junto irá fornecer a base dissociativa para dividir a personalidade núcleo. 

- Ibid.

Esta cena descreve visualmente a divisão da persona (preto
 e branco), enquanto Pink vestida de vermelha dança (vermelho
 representando a cor do sacrifício). 

Pink e sua filha, em seguida, tomam chá com o Chapeleiro Maluco.
Pink (e sua persona núcleo) estão flutuando no ar, aludindo
 à sensação de leveza sentida por escravos dissociados. 

Pink, em seguida, cai e encontra-se paralisada enquanto flutua acima das 
flores, representando a impotência de escravos dissociados (e intoxicados).
 A borboleta da programação voa, e a menina a segue.

Tempo (o vilão com o bigode) se esconde por
 perto, olhando para a menina - a persona núcleo. 

No vídeo, Tempo desempenha o papel do manipulador que entra na psique do escravo dissociado para programá-lo.
 O sinal do "um olho" no pôster do filme permite 
que você saiba que Tempo representa a elite oculta.

 Tempo finalmente encontra a personalidade núcleo e oferece-lhe um relógio. 

Quando o manipulador toca a personalidade núcleo do escravo, um colapso completo ocorre. O vídeo mostra claramente esse processo de maneira bastante gráfica.
Pink sai imediatamente do País das Maravilhas (dissociação) e é levada 
à força para uma instituição mental, enquanto veste uma camisa de força. 

Durante o colapso de Pink, um monte de imagens assustadoras piscam 
na tela, incluindo o rosto irritado de Tempo. Embora o manipulador pareça 
agradável durante dissociação, ele é na verdade um psicopata 
sádico na vida real.

 O vídeo termina com o marido de Pink assinando o 
termo e perguntando se ela vai ficar "bem"... enquanto 
ela é forçosamente arrastada para uma instituição mental. 

Obrigado, Disney, por essa história edificante de dissociação e colapso mental. As crianças vão adorar.

Script para as Massas 

Da mesma forma que os escravos MK seguem um roteiro para a programação e dissociação, as massas são submetidas a um script de programação através da mídia. Na verdade, os leitores desse site já devem ter reconhecido a mesma narrativa básica em outros vídeos. Por exemplo, "Wide Awake" de Katy Perryapresenta Katy com uma menina passando por um espelho.
 Katy Perry com uma menina (representando sua persona núcleo)
 passando por um espelho. O vestido de Perry está cheio de borboletas.

 Ela encontra-se completamente fora de si em uma instituição mental. 

O vídeo termina com ela segurando uma borboleta. 

A indústria da música não é sobre "originalidade". Trata-se de programação.

Conclusão

O vídeo de Pink "Just Like Fire" é mais um caso que prova que a indústria do entretenimento busca constantemente expor as massas ao mundo do controle mental. Embora "Alice no País das Maravilhas" de Carroll  foi escrito durante o século 19, a Disney adaptou a narrativa para se adequar às necessidades do sistema MKULTRA, um sistema no qual a empresa está diretamente envolvida.

A adição de uma cena em que Pink perde sua cabeça é a maneira de claramente apontar que há mais na história de Alice no País das Maravilhas do que uma simples fantasia da Disney. A história é usada em um assunto específico para normalizar o simbolismo da programação Monarca, enquanto subliminarmente expõe os jovens ao seu processo horrível. Se você não acredita que a Disney e toda a indústria são capazes de tais coisas tortuosas, você ainda está vivendo no país das maravilhas.

Fonte: VC

A Cerimônia de Abertura do Maior Túnel do Mundo foi Um Ritual Oculto Bizarro

Com a participação das pessoas mais poderosas da Europa, a cerimônia de abertura do túnel Gotthard Base na Suíça foi um ritual satânico estranhamente perturbador e sombrio. Aqui está uma análise de outra celebração da elite oculta.

Medindo mais de 57 km e custando mais de 11 bilhões de euros, o túnel Gotthard Base é o projeto de túnel mais longo e mais caro na História. Atravessando os Alpes suíços, o túnel levou 17 anos para ser concluído e é dito ser um símbolo de unificação europeia num contexto de crescente nacionalismo e fechamento de fronteiras.

Para comemorar a inauguração do túnel, uma cerimônia elaborada foi apresentada na frente de dignitários europeus, como a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente François Hollande, da França, e o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi. Embora a maioria esperasse uma cerimônia animada, os convidados foram tratados, ao invés, com um show perturbador orquestrado pelo diretor alemão Volker Hesse, onde um homem vestido de bode presidiu um ritual estranho.

Como já discutido no artigo sobre a cerimônia de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, a elite oculta gosta de pôr em plena exibição sua agenda e sua filosofia simbólica por meio de dramatizações que remontam a situações encenadas em rituais de sociedades secretas. Além disso, não há melhor maneira de mostrar poder absoluto do que colocar o "selo de aprovação Illuminati" em mega-projetos como os Jogos Olímpicos ou grandes construções.

Aqui está parte do show.


A cerimônia começa com trabalhadores vestidos de laranja andando lentamente com a batida de um tambor militar rítmico.

Esta cena representa os trabalhadores sendo enviados para trabalhar no túnel.

Há algo bastante "Nova Ordem Mundial" para este retrato militarista de força de trabalho. À medida que os tambores ficam mais rítmicos, os trabalhadores ficam mais animados, fazendo coreografia.

Depois, as coisas ficam estranhas. Um trem traz um grupo de jovens vestidos só com roupa íntima branca.

Vestidos de branco, esses homens e mulheres 
representam as massas que vão viajar através do túnel. 

 Por alguma razão, a cerimônia ganha um tom estranhamente sexual 
quando essas pessoas vestidas de branco começam a se agarrar.

Depois de retratar os trabalhadores como soldados zumbis, a cerimônia retrata a população em geral, como um grupo de pessoas lascivas que parecem ser extremamente sugestionáveis.

Depois, emergindo daquele trem, aparece uma anjo caído demoníaco, um Lúcifer com cara de bebê.

 Esta cena é destinada a "honrar" os trabalhadores 
que morreram durante a construção do túnel. Por que
 há um bebê Lucifer assustador voando acima deles? 

Desse ponto em diante, o evento se transforma em uma cerimônia satânica completa.

Um homem vestido de bode se torna o mestre de 
cerimônia enquanto todo mundo presta homenagem a ele.

O que isso tem a ver com a construção de um túnel? Os meios de comunicação, em suas tentativas de explicar essa cerimônia, disseram que há bodes nas montanhas nos Alpes... o que explicaria o homem-bode. Mas porque é que esse homem-bode está em tal posição de poder? Porque as pessoas estão se curvando a ele?

A cerimônia parece se inspirar nos contos populares locais, especificamente, na lenda sobre a ponte do diabo, que passa por Gotthard Pass.


A lenda dessa ponte particular diz que o rio Reuss era tão difícil de atravessar que um pastor suíço queria que o diabo fizesse uma ponte. O diabo apareceu, mas exigiu que a alma do primeiro a atravessar fosse dada a ele. O alpinista concordou, mas levou um bode em sua frente, enganando seu adversário. Irritado com essa farsa, o diabo foi buscar uma rocha com a intenção de quebrar a ponte, mas uma velha desenhou uma cruz sobre a rocha para que o diabo não pudesse levantar mais. A rocha ainda está lá e, em 1977, 300.000 francos suíços foram gastos para mover a rocha de 220 toneladas por 127m, a fim de abrir espaço para o novo túnel rodoviário Gotthard.

- Wikipédia

Embora o diabo tenha perdido na lenda, ele parece ter vencido na cerimônia de abertura do túnel.

Homens andam em uma procissão estranha, segurando crânios 
com chifres como se fossem artefatos religiosos de valor inestimável. 

Mulheres vestidas de branco seguram pequenos chifres em suas cabeças 
como se estivessem dizendo "aceitamos o homem-bode como o nosso deus". 

Durante todo o tempo, o homem-bode fica correndo, cada vez mais cheio de energia. 

A segunda parte da cerimônia ocorre fora e segue a mesma narrativa básica: trabalhadores zombies vão primeiro, seguidos por pessoas em roupas íntimas, para dar as boas-vindas ao próprio Satanás.

Por alguma razão, os trabalhadores tiram suas camisas e entram em posição militar. 

Jovens em roupas íntimas, parecendo confusos. 
Esta é a forma como a elite percebe as massas.

Mais uma vez, a cerimônia retrata a morte de trabalhadores de um jeito bastante preocupante.

Três trabalhadores pendurados no ar, aparentemente mortos. 

Os trabalhadores são substituídos por três fantasmas assustadores.

Em seguida, vemos os fantasmas flutuando na frente de um olho 
que tudo vê gigante. É a elite celebrando o sacrifício humano? 

O homem-bode faz a sua entrada, precedida de pessoas 
vestindo véus brancos... como noivas antes de um casamento. 

Enquanto o homem-bode corre pelo palco, gritando como um possuído, o
 telão exibe imagens do homem-bode com uma cara extremamente má. Três
 escaravelhos passam na frente dele. Satanás vê os três trabalhadores 
mortos como meros insetos? 

Quando as pessoas vestidas de branco se curvam para o homem-bode, 
um círculo de olhos os observa, confirmando que este foi uma grande
 e flagrante cerimônia satânica trazida para você pela elite oculta. 

 Uma mulher enrola o bode-homem num manto branco
 como se estivesse dizendo "Você agora é o rei do mundo". 

Conclusão 

A elite oculta é toda sobre poder e simbolismo. A cerimônia acima exibiu ambos. Através da cerimônia de abertura do maior e mais profundo túnel do mundo, a elite oculta diz ao mundo que eles controlam os recursos e a mão de obra. Em outras palavras, eles são os únicos que podem fazer esses projetos acontecerem porque eles controlam a política, as finanças e os negócios. Além disso, através da criação de cerimônias abertamente ocultas, a elite está dizendo ao mundo: "Isso é o que acreditamos, isso é o que pensam de você e não há nada que você possa fazer sobre isso."

A cerimônia de abertura do túnel Gotthard Base transformou uma grande façanha da engenharia em uma cerimônia religiosa dedicada a Baphomet, enquanto esteve ridicularizando um pouco os trabalhadores que sacrificaram suas vidas e as massas que vão viajar através do túnel. Então, as pessoas mais poderosas da Europa levantaram-se e aplaudiram de pé a essa cerimônia dedicada ao verdadeiro governante da elite oculta.

Fonte: VC

INACREDITÁVEL: DECISÃO DO STF VAI LEGALIZAR PROFISSÃO DE TRAFICANTE, DIZ PROMOTOR


A que ponto chegou a destruição moral do Brasil!

A decisão que reduziu a punição a réu primário por tráfico de drogas pôs promotores e defensores em lados opostos. Para Marcelo Barone, promotor criminal de São Paulo e professor de Direito Penal da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a decisão do STF tem como "único objetivo esvaziar as prisões" no País e vai na contramão da política de combate ao tráfico de outros países. "O que o Supremo fez foi legalizar a profissão de traficante e promover o aumento da quantidade de pessoas recrutadas pelo tráfico. Isso é ruim, ainda mais neste momento de crise econômica."

Ele afirma que a medida deve reduzir em mais da metade o período de encarceramento de traficantes ou estimular a adoção do regime aberto. "Hoje, o traficante, não importante a quantidade de drogas, já fica, em média, um ano na cadeia. Com essa decisão, a pena dele cairá para três meses. Isso se a condenação não for ao regime aberto ou pena alternativa. Essa decisão vai aumentar o tráfico assustadoramente no País."

Já para o coordenador do Núcleo de Situação Carcerária da Defensoria Pública de São Paulo, Bruno Shimizu, há no País uma deliberada política de encarceramento, agravada em 2006 com a nova Lei de Drogas (11.343). Ele cita especificamente o problema feminino, usando dados do Infopen: houve aumento de prisões de 313,5% no número de acusadas por tráfico entre 2005 e 2014, de 4.228 para 17.483. Somente em São Paulo, o crescimento foi de 460,4% no mesmo período - de 1.432 (2005) para 8.025 (2014).

Para o defensor público paulista, o País prioriza a construção de presídios e pratica uma política "de enxugar gelo" para atender ao clamor social. "O sistema carcerário brasileiro já foi até condenado pela ONU (Organização das Nações Unidas), que considerou situação de genocídio", disse. "Temos 40% dos presos em prisão provisória, aguardando julgamento."

Para Shimizu, é necessário revisar essa legislação, como se fez inicialmente ontem, porque ela colocou o Brasil como o terceiro país do mundo (atrás apenas de Estados Unidos e China) em encarceramento. Ele usa como exemplo o parágrafo 4.º da Lei de Drogas. Para ele, ali não se veda o indulto, uma das ferramentas usadas no mundo para "desencarceramento" - como acontece na Rússia. Segundo ele, o que a lei veda é o instituto da graça (perdão concedido ao preso por mérito). "O Brasil prende muito, mal e ilegalmente."

Ele questionou ainda os custos do preso no sistema carcerário. "Nesses dados são incluídos de gasto com construção de presídio a salário dos servidores e do secretário." Segundo o defensor, um preso custa mensalmente cerca de R$ 200 com comida e R$ 17 com produtos adicionais. "Quem mantém o preso é a família", disse.

Juízes

Para Bruna Angotti, coordenadora do núcleo de pesquisas do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), a decisão do Supremo deve ainda "reduzir o peso da caneta dos juízes nas decisões" e contribuir para que mulheres presas por tráfico tenham direito ao indulto, em Natal e Dia das Mães. "Isso provoca um terrível efeito dominó extramuro, tanto no cuidado com os filhos como no sustento do lar."


Via: Folha Política